A UFPR criou a primeira emissora exclusiva para a internet do Paraná em 2003

No dia 8 de julho de 2003 a UFPR, Universidade Federal do Paraná, lançou a primeira emissora integralmente na internet do estado. A intenção era antecipar a programação de sua futura rádio FM, que já aguardava a concessão. Como uma emissora universitária, a proposta original era veicular apenas MPB, Música Popular Brasileira, em um modelo educativo.

Mas quando finalmente a concessão da emissora FM foi liberada para a UFPR na gestão de Zaki Akel, a coordenação integral do projeto foi transferida para a Funpar, Fundação da UFPR. Com isso a rádio, de concessão educativa, passou a seguir uma linha comercial idêntica às demais emissoras da capital, incluindo música internacional e rock. O modelo seguido foi o mesmo da “Rádio Mundo Livre” da RPC, apesar da UniFm ser obrigada a seguir uma programação determinada pela legislação das emissoras educativas.

Para seguir esta linha a opção da Funpar foi a contratação de uma equipe externa em um estilo mais popular. Assumiu o comando Jackson Gomes Junior, servidor da Funpar, que defendia a programação no modelo comercial. A gestão atual, do reitor Ricardo Marcelo da Fonseca, não mudou este formato que foi definido pela própria Funpar.

Veja nesta reportagem de 14 de junho da 2007 como era o projeto inicial, que foi abandonado pela instituição. A publicação foi do Jornal da UFPR.

A boa repercussão da rádio se dá também entre brasileiros que estão no exterior e que vêem na programação da rádio um “gostinho” de Brasil.

“A exclusividade para a música popular brasileira faz da rádio da UFPR uma referência . A seqüência musical também é de muito bom gosto e percebo que este trabalho é realizado por alguém competente e que gosta de uma boa música”. São palavras de Alaíde Maria Zabloski Baruffi, professora da Universidade Federal de Grande Dourados, em Mato Grosso do Sul, ouvinte assídua da rádio da UFPR. Por e-mail, a professora de 46 anos, contou que “é na rádio da UFPR que encontro Chico, Caetano Veloso, Gal e tantos outros… mas gosto de Lupicínio Rodrigues, Manoel Rosa, enfim, a música dos anos 40”.

Alaíde diz que descobriu a rádio da UFPR ao visitar a página da UFPR quando o primeiro dos três filhos em fase de prestar vestibular, fez inscrição. A professora costuma acessar a rádio em casa à noite e nas tardes de sábado e domingo, sempre que está no computador. A professora ouve também rádios das Universidades Estadual de Londrina, Católica de Campo Grande e Federal do Espírito Santo e diz que gosta da programação de todas elas.

MENSAGENS DE VÁRIOS PAISES – A repercussão da rádio web não é apenas no Brasil. Muitas pessoas que estão em outros países têm mandado e-mails elogiando a programação. É o caso de Leandro Paulino que está há 10 anos longe do Brasil e há oito morando no Chile, onde estuda Engenharia Florestal. Também por e-mail, ele diz costuma acessar a rádio no trabalho em horários de menor movimento. Para Leandro. ouvir MPB ajuda muito a matar a saudade do Brasil. Ele destaca que além da música, gosta das informações sobre a UFPR que são divulgadas na rádio.

Nos últimos meses chegaram e-mails elogiando a programação da rádio por brasileiros que moram até na Grécia É o caso de Cristina Sponias que contou que gosta de Chico Buarque, Rita Lee, Milton Nascimento e Caetano Veloso. Cristina solicitou informações sobre novos lançamentos destes cantores. Paulo Marques de escreveu que “ tenho a rádio on line da UFPR como uma das minhas páginas principais. Obrigado por nos proporcionar bons momentos com essa maravilha chamada Música Popular Brasileira”.

A rádio foi criada em julho de 2003 e no ano seguinte passou a ter uma programação 24 horas por dia, lembra o coordenador, José Wille. A programação é direcionada aos clássicos da Música Popular Brasileira. Há também programas de Chorinho, Música Instrumental Brasileira e os clássicos da Bossa-Nova e do passado da MPB. Em meio à programação, a cada duas músicas, a emissora traz a identificação, a hora certa e uma notícia sobre a UFPR e a comunidade universitária.

Wille destaca que é comum receber e-mails de professores e estudantes da UFPR, que fazem cursos de pós-graduação no exterior. Eles destacam que ouvem a emissora com alta qualidade de som através da rede mundial de computadores, mantendo o contato com a cultura brasileira e com as informações da UFPR. Eles dizem que tem grande significado de ouvir o som de sua terra, mesmo longe de casa. Além de todo o Brasil, a estatística de audiência na internet mostra a localização dos acessos principalmente nos Estados Unidos, Europa e América-Latina.

NOVAS OPÇÕES – De acordo com Wille “ O rádio na internet é mais uma opção que surge com as novas tecnologias, mas ainda tem grandes limitações, pela deficiência de infra-estrutura do País em telecomunicações. Este sistema exige banda larga para uma boa recepção, o que ainda é limitado para a recepção na maioria das residências e escritórios. Também exige uma quantidade de memória considerável e muito cara para a geração do áudio, serviço fornecido pelas empresas provedoras de internet, o que ainda inviabiliza a iniciativa individual na área. As emissoras de rádio ainda tem audiência limitada ao máximo de uma a duas centenas de ouvintes pela exigência de memória do computador gerador.

Mas, no caso da UFPR a audiência pode ser ilimitada pela disponibilidade oferecida pelo CCE, Central de Computação Eletrônica da instituição no Politécnico, que tem grande porte. As webradios ainda não tem legislação específica. Isso deve mudar em breve, mas sem as imitações impostas às rádios abertas. Desta forma a nova opção vai permitir que escolas, sindicatos, associações ou comunidades tenham suas próprias emissoras de rádio e tv na internet.

PROGRAMAÇÃO MPB 24 HS:

0H00 – MPB DO PASSADO

1HOO – CLÁSSICOS DA MPB

5HOO – VIOLA BRASILEIRA

6H00 – MPB DO PASSADO

7H00 – CLÁSSICOS DA MPB

12HOO- HORA DO CHORINHO

13H00- CLÁSSICOS DA MPB

18HOO- MPB INSTRUMENTAL

20HOO- CLÁSSICOS DA MPB

Para ouvir:
www.radio.ufpr.br

Para escrever:
radioufpr@ufpr.br

(Atualmente esta webradio não está no ar)

Comments

comments

Shares